O movimento Cartista.

Francisco Ferraz
Publicado em: 08/12/2016

“A política talvez seja a única profissão em relação à qual
se considera que nenhuma formação prévia é necessária”
Robert Louis Stevenson (1850-1894)

A política é uma profissão porque o político é um profissional da vida pública. Não é esta, entretanto, a concepção dominante sobre a atividade política. Há muita dificuldade em encarar a política como uma carreira profissional, tanto da parte da opinião pública em geral, como da parte dos próprios políticos.

A origem do poder executivo é a monarquia e a do legislativo as Câmaras de nobres e, mais tarde, de nobres e burgueses. Essas origens marcaram a política como uma atividade “desinteressada” “amadorista”, um “incômodo” que os bens nascidos tinham que suportar, em razão da responsabilidade/prerrogativa historicamente atribuída a eles de governar o povo.

Por essas razões era inconcebível a ideia de remunerar estas atividades. Na época, somente recebiam remuneração fixa e regular, os empregados, os subalternos. Um governante, um parlamentar (de extração nobre ou burguesa) não poderia então ser submetido a este constrangimento que, além de desnecessário, era percebido como humilhante.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Gostei muito desse site, pois ensina o que é política, mostrando o que um candidato deve fazer, como governar. Estão de parabéns! Também vou divulgar esse site no Orkut, em minha comunidade, "politicos do futuro".



Jeferson Osik da Cruz
Piracicaba - SP

Leia mais >>