O principal problema do Brasil é o problema econômico.

Francisco Ferraz
Publicado em: 16/02/2016

ATENÇÃO:

O trecho abaixo transcrito é de um discurso de importante político brasileiro que consegue resumir, de forma concisa e sóbria, um dos impasses mais perigosos da politica brasileira.

Proponho aos nossos assinantes um teste: quem terá feito este discurso e quando (aproximadamente).

A resposta correta você encontrará na seção Variedades.

Peço apenas que nos envie por email ou no Facebook se você acertou ou não.   

 

Trecho do discurso

“E aqui, Sr. Presidente, toco o ponto final do que tinha a dizer. De minhas próprias palavras se conclui que um dos dois grandes problemas do Brasil moderno é o problema econômico que está sem solução: este é o grande mal, o terrível mal de que estamos todos a sofrer e todos a gritar, justamente nas mesmíssimas condições do provérbio: “casa de pouco pão, todos a gritar e ninguém com razão”; eu diria melhor o final: “casa de pouco pão, todos a gritar e todos com razão”, porque nada existe mais capaz de tudo justificar – do que barriga vazia...

Este sim é o grande mal do Brasil de hoje e por isso disse em princípio que desconhecê-lo seria como andar pelas ruas e não ver as casas.

E o que mais admira é que se fala nele por toda a parte, em todos os tons e em todas as linguagens e só aqui, só no Congresso Nacional, no meio dos representantes do povo, é que não se fala nele; é como se não existisse e estivéssemos no melhor dos mundos possíveis.

Quer-me parecer, Sr. Presidente, que já o Governo e o Congresso deveriam ter encarado de frente, esta questão no seu tríplice aspecto: aumento da produção em geral, meios garantidores de nosso principal produto de exportação, sábia repressão aos manejos inconfessáveis dos Minotauros dos novos tempos – o câmbio. (...)

Mas a par e acima das medidas legislativas e governamentais, cumpre ensinar ao povo a sã doutrina de não dever ele tudo esperar do poder – o sol, a chuva, a abundância e o bem estar; de si mesmo, de sua própria energia, de seu espírito de iniciativa, de seu valor associativo, de seu engenho prático, de sua coragem, é que ele tem de tirar o melhor do que necessita.

Não deve o povo pedir tudo aos governantes, restando-lhe apenas o consolo de falar mal deles, quando não o servem, exatamente pelo mesmo processo das velhas beatas que tudo rogam a Santo Antônio, quando o pobre santo, as mais das vezes, não as pode servir.”

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Aos navegadores do site quero deixar meu testemunho do que presenciei em São Paulo neste final de semana. Ainda estou em estado de graça pelo aprendizado, no qual tive a oportunidade de enriquecer meu currículo. O professor Ferraz - e toda sua a equipe - é sem sombra de dúvida o que de melhor existe no momento. Digo isso porque este foi uns dos tantos cursos que participei. Se você tiver a oportunidade de um dia fazer este curso não pense duas vezes. Parabéns, professor Ferraz, André, Juliano, Lacerda, Michele e toda equipe do site que mesmo não estando presente deram a sua colaboração para este evento.


Jacinta Nascimento
Recife - PE

Leia mais >>