COMPARTILHAR
Capa > Cultura > Discursos Célebres

O Sermão do bom ladrão, de Antônio Vieira

Francisco Ferraz
Publicado em: 27/02/2017

 “Basta, senhor, que eu, porque roubo em uma viatura, sou ladrão, e vós, porque roubais em uma força pública, sois governador?”

Num momento em que se rouba em escala oceânica no Brasil, nada mais apropriado que citar trechos do clássico Sermão do Bom Ladrão, pronunciado em 1655 pelo padre jesuíta Antônio Vieira, em Portugal, na presença do rei D. João IV e sua corte.

O padre Antônio Vieira, nascido em Portugal em 1608, veio para o Brasil ainda criança, foi um grande orador sacro, cujos sermões se tornaram célebres não apenas pela retórica brilhante (barroca), como pelo conteúdo polêmico de muitos deles, uma vez que esse jesuíta defendia os cristãos novos ( judeus convertidos), indispondo-se com a Inquisição. Lutava contra a escravização dos índios, reprovava a conduta dos colonizadores que vinham para o Brasil ou iam para outras colônias de Portugal e, sobretudo, criticava a corrupção e a impunidade dos poderosos.

A obra literária de Vieira se constitui dos seus sermões, dos quais alguns dos mais conhecidos, além deste, são “O sermão da sexagésima” (“saiu o semeador a semear”),"Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal contra as de Holanda", "Sermão de Santo António aos Peixes", entre muitos outros. Vieira deixou cerca de 700 cartas e 200 sermões.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Gostei muito do teor das informações no site, parabéns! O atendimento telefônico também foi impecável.



Lidia
Gama - DF

Leia mais >>