Todo poder tende a corromper, o poder absoluto corrompe absolutamente.

Francisco Ferraz
Publicado em: 27/01/2017


“Todo poder tende a corromper, o poder absoluto corrompe absolutamente” - (Sir J.E.E.Dalberg, primeiro Barão de Acton –1834/1902)

Ao longo da história, muitas e variadas têm sido as formas de descrever o poder político. Talvez não haja nenhum outro dito político tão conhecido e tão citado sobre o poder quanto este pronunciado por Lord Acton.

A imputação de que o poder absoluto é intrínseca e irremediavelmente corruptor ganhou uma validação quase irrefutável com a experiência dos totalitarismos do século XX, seja na versão nazista, seja na stalinista.
A experiência totalitária levou ao seu limite extremo o conceito de poder absoluto. Frente a ela, o poder dos chamados monarcas absolutistas dos séculos XVII, XVIII e XIX permanece muito aquém dos extremos de brutalidade, arbitrariedade e de desagregação das estruturas sociais atingidos pelos sistemas totalitários.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Há mais de cinco anos que sou leitora desse site, e só tenho a dizer que a cada dia mais enriquecido ta seu conteúdo de uma sutileza e inteligência invejável. Parabéns a toda equipe e ao Prof. Francisco Ferraz por toda dedicação e atenção a todos nós. Ah, está na hora de promover outros cursos fora do eixo sul. Que tal?

Jacinta Nascimento
Recife - PE

Leia mais >>