Londres 1860: o grande debate científico sobre evolucionismo

Francisco Ferraz
Publicado em: 08/09/2017

Darwin pode ser considerado como o modelo do pesquisador científico. Dedicou-se ao estudo da biologia, no seu jardim e no mundo.

Dotado de uma curiosidade insaciável, cultivou ainda uma formação científica enciclopédica, que não se limitava à biologia e que o levou a estudar em profundidade geologia, botânica, genética,zoologia.

Darwin vivia, entretanto, atormentado fisicamente por doenças que o obrigavam a trabalhar enrolado em lençóis molhados, mesmo durante o inverno, e pela doença de sua filha de cuja morte nunca se recuperou completamente.

Sofria também a tortura mental de não conseguir compatibilizar sua teoria, fundada nas descobertas científicas que fizera ao longo da vida, com sua formação religiosa. Sofria também com o discreto, mas permanente, escândalo silencioso de sua esposa religiosa com sua teoria que removia Deus da criação do mundo, assim como a reação que antevia do establishment científico inglês, quando dela tomasse pleno conhecimento.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Venho aqui para tratar de elogios ao site. Sou estudante de ciências sociais pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e, como possuo afinidade com temas políticos, eu pude encontrar uma excelente qualidade de conteúdo no site de vocês.

Roger Rocha
Rio de Janeiro - RJ

Leia mais >>