O rei João Sem Terra e a Magna Charta

Francisco Ferraz
Publicado em: 07/07/2017

“Nós convocaremos os arcebispos, bispos, abades, nobres e os maiores barões do reino (para o Conselho Geral do Reino), individualmente (...) para um dia determinado (...) e as cartas de convocação conterão as razões para a reunião.” (Convocação para aprovar a Magna Charta)

No ano de 1215, atendendo à convocação do rei João, reuniram-se os barões do reino na região chamada de Runnymede, há 20 milhas de Londres, para um encontro com o rei.

Não se previa um encontro afável e pacífico. Os barões vieram armados, prontos para o pior; o rei mandara preparar os castelos para a possibilidade de uma guerra.

O rei João não era “ficha limpa”. Sua fama o precedia. Conspirara contra seu pai, depois contra seu irmão Ricardo, extorquia recursos de todas as formas que podia, envolvia-se em guerras de alto custo, traía aliados e não respeitava direitos e era um rei cruel.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Aguardo o curso do Política para Políticos em Santa Catarina. O sitio de voces está muito bom.

Flares Rosar
Florianópolis - SC

Leia mais >>