Como Não dar uma má notícia.

Francisco Ferraz
Publicado em: 12/10/2017

Como Não dar uma má notíciaQuando se fala em más notícias, sempre se pensa na pessoa que a recebe. Ninguém gosta de receber uma má notícia. Mas ninguém gosta também de comunicar uma má notícia.

Em geral os que podem fogem dessa responsabilidade. Na política então é difícil imaginar-se situação mais inconfortável do que a de comunicar uma má notícia. O político, em razão da natureza de sua atividade, é um indivíduo tenso, nervoso, ansioso, impaciente, inseguro.

Ele torna-se  irritadiço, revoltado e muito propenso a ações impulsivas e emocionais, quando é forçado a lidar com informações negativas, pessimistas e às vezes desastrosas.

Tanto na vida política como na vida pessoal, a tarefa ingrata de comunicar uma má notícia exige, de quem a comunica, duas qualidades básicas: sensibilidade e noção de “timing”. No “timing” discute-se quando  dizer. Na questão da sensibilidade discute-se como dizer.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Parabenizo o site pelo novo estilo. Os senhores estão prestando um grande serviço a nossa comunidade, pois a política esta na nossa vida de forma direta ou indireta.

Tenente Coronel Cabreira
Porto Alegre - RS

Leia mais >>