Comercial "Gargalhada": o humor como arma de ataque

Francisco Ferraz
Publicado em: 18/11/2015

A campanha negativa (propaganda política com intuito de desqualificar pessoal, profissional ou politicamente o adversário) tem-se revelado uma arma de campanha muito poderosa, mas cujo uso envolve riscos elevados.

O mau uso desta arma volta-se sempre contra quem a utilizou. Uma das formas de reduzir este risco tem sido o humor. Reveste-se o ataque ao adversário num formato humorístico, o que o torna menos agressivo e mais aceitável para o eleitor.

O argumento é que o expectador é mais receptivo à informação negativa se ela for apresentada num formato humorístico, do que se for exposta de uma maneira direta e agressiva.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Gostaria primeiramente elogiar o trabalho de vocês e o livro "Manual da campanha Política". Ambos se mostram bastante claros e muito eficazes. Sou aluno do quarto ano de psicologia da PUC-PR e provavelmente estarei iniciando o curso de Ciências Políticas, sempre me interessei por campanhas políticas e pelo planejamento e gestão de campanhas e
de políticos durante o mandato.

Eric Aquino Corrêa
Curitiba - PR

Leia mais >>