Ética e competência: não se cria moralidade por legislação

Francisco Ferraz
Publicado em: 20/04/2017

Será que ainda há o que falar sobre corrupção?  Será que a anunciada reforma política e as mudanças na legislação resolveriam este grave problema?

Não creio.

Mudanças na legislação somente são eficientes quando um sentimento popular intenso e permanente as sustenta.

A lei, para regular o comportamento, tem que corresponder aos costumes, valores e princípios de uma comunidade. Quando resultam apenas do raciocínio político e da mera intenção, não conquistam aquela legitimidade que se impõe moralmente aos cidadãos, e que atemoriza os que pensam em desrespeitá-las.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Sou leitoria assídua do site e espero continuar recebendo todas essas preciosas informações. Sou jornalista e estudante de direito, e essa leitura só tem enriquecido e aprimorado meus conhecimentos. O conteúdo como todo é excelente, de grande propriedade intelectual e jornalística, mas a parte que mais gosto são clássicos da oratória.

Joserlania Leite
Natal - RN

Leia mais >>