COMPARTILHAR
Capa > Marketing > Oratória

Fale para todos como se falasse para cada um.

Francisco Ferraz
Publicado em: 10/02/2017

Não nascemos com o dom da oratória, mas muito cedo adquirimos o hábito da comunicação pessoal. Esta é a forma mais antiga de transferência de informação, mais universal, e mais perene no tempo. É por meio dela que as conversações mais reservadas, sobre assuntos mais delicados, se realiza. Na política, este tipo de comunicação também tem muita importância.

Alguns políticos notabilizam-se por usá-la com grande maestria, deixando para os pronunciamentos públicos apenas as generalidades, e, para as comunicações telefônicas, apenas os assuntos "inofensivos".

Este estilo de fazer política, que, no Brasil,ficou conhecido como o estilo do PSD mineiro (Tancredo Neves costumava dizer "Estou rouco de tanto ouvir"), ocorre em todos os países e em todos os tempos. Nos EUA, o Presidente Johnson notabilizou-se por adotá-lo, como sua principal forma de comunicação. Johnson não se saía bem nos discursos, mas no contato pessoal era imbatível.

As causas e os efeitos, que fazem com que a comunicação pessoa a pessoa tenha se tornado a "norma" estabelecida, decorrem da precedência da comunicação pessoal sobre a pública, e da intensidade e freqüência com que a praticamos, desde a infância.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Manifesto congratulações pelo excelente serviço prestado. Alia qualidade, história, atualidade, clareza e concisão. Continuem assim.



Onélio
Porto Alegre - RS

Leia mais >>