Comerciais de TV: A ciência e a arte.

Francisco Ferraz
Publicado em: 10/10/2017

O governo Kennedy usou largamente a TV como instrumento de comunicação com a população, e, com a morte de Kennedy e as solenidades de seu velório e sepultamento, televisionadas para o mundo, o veículo firmou sua hegemonia sobre todos os demais.

A partir de então, as campanhas eleitorais são disputadas na TV por meio de "comerciais" (peças breves de 15 , 30 ou 60 segundos), programas (de duração bem mais longa, medida em minutos), entrevistas com candidatos, isolada ou separadamente, e debates (o primeiro debate televisionado ocorreu na campanha Kennedy x Nixon).

A TV faz ainda a cobertura da campanha como um fato político, mediante reportagens, análises e comentários, o que deixa um espaço potencial em aberto para os candidatos que conseguem produzir fatos cuja relevância exija a atenção da mídia.

A propaganda política na TV é um produto que resulta da combinação entre a ciência e a arte. A parcela da ciência está, pelo menos em princípio, acessível a qualquer candidato. Por ciência entenda-se o uso das pesquisas sob as suas mais diversas formas (pesquisa de survey, focus groups, estatísticas eleitorais, etc), da análise política e das técnicas publicitárias de produção televisiva.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

O Política para Políticos é mesmo um site muito interessante.

Cicero William Pereira de Araujo
Embu - SP

Leia mais >>