COMPARTILHAR
Capa > Marketing > Oratória

Carta da Organização das Nações Unidas

Francisco Ferraz
Publicado em: 23/11/2016

A ONU serve como ponto de encontro entre todas as nações do mundo, centro de deliberações sobre problemas e crises internacionais, e como instrumento destinado a preservar a paz entre as nações. Muitas vezes a ONU revela-se impotente, diante de interesses de nações poderosas, dispostas a recorrer a ações unilaterais para defendê-los. Isto, contudo, não é novidade na história da instituição, bem como não invalida as suas elevadas funções.

Durante a Guerra Fria, muitas foram as ocasiões nas quais, os blocos de nações em que se dividia o mundo, impediam a sua ação mediante vetos no Conselho de Segurança, ou agiam de maneira unilateral, sem submeter suas decisões à deliberação da instituição.

Não obstante, muitas também foram as ocasiões em que a ONU prestou serviços valiosos à causa da paz e da assistência social. A ONU é uma organização sem poder econômico ou militar para fazer impor suas determinações. Depende e dependerá sempre do acordo, da transigência mútua, da boa fé e da disposição de resolver pacificamente os conflitos.

A ONU não é um “ator” da política internacional, como são as nações. Ela é uma instrumentalidade a serviço da paz, que, como qualquer instrumento, será, mais ou menos, pior ou melhor, utilizado, na medida do interesse das partes envolvidas.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

O Brasil vive momentos em que a democracia existe. Mas, ao mesmo tempo, a subutilizam, como se fosse algo de barganha, provocando ira nos mais entendidos e satisfação naqueles que não percebem o grau de ineficiência do estado para tratar da corrupção e dos demandos políticos. Investigam, sim, julgam, sim, mas tudo acaba como se fosse natural e inerente da vida do político. Quero parabenizar este site que tem procurado levar o leitor a construir seu conhecimento político de forma crítica, reflexiva, interativa, dinâmica e atualizada.

Jorge Luiz Medeiros da Cunha
Araguaína - TO

Leia mais >>