A arte de governar.

Francisco Ferraz
Publicado em: 19/04/2017

“Só as pessoas inteligentes procuram para auxiliá-las pessoas mais inteligentes do que elas”.
(Baltasar Gracian - jesuíta 1601-1658)

A citação refere-se a uma regra de prudência política de grande e venerável tradição. Ela faz parte do que se chamava sobretudo nos séculos XVI, XVII e XVIII “a educação do príncipe”.

Estas obras formavam um corpo de conhecimentos voltado para o aconselhamento e advertência aos governantes, escrito por sábios de grande cultura histórica, e especial sensibilidade para o lado prático e real da política.

Os jesuítas e religiosos foram, durante muito tempo, os principais conselheiros dos reis e príncipes, produzindo peças notáveis deste tipo de literatura política. Gracián, Mazzarin e Richelieu são os nomes mais ilustres dessa categoria de pensadores, mas nem de longe os únicos.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Gosto muito deste site. Toda equipe esta de parabéns. Gosto muito de politica e quero me preparar bem para proximo pleito.

Soraya dos Santos
Buerarema - BA

Leia mais >>