A incorporação de voluntários na campanha: um desafio organizacional.

Francisco Ferraz
Publicado em: 02/03/2016

Voluntários podem ser um instrumento valioso na campanha, mas podem também ser um problema adicional, criado pela própria campanha, desviando recursos e tempo de outras atividades para manter uma operação pouco produtiva.

Tudo vai depender de como se organiza o movimento de voluntários, e o quanto se está preparado para trabalhar com eles. A incorporação de voluntários na campanha é uma decisão que possui muitas implicações, nem sempre devidamente avaliadas. Para usar produtivamente o trabalho voluntário é preciso antes de recrutá-los, estar preparado para:

Sem preencher estas condições, não é aconselhável tentar organizar um movimento de voluntários para a sua campanha. Vai dar mais trabalho, despesa e perda de tempo do que se você fizer a campanha sem voluntários.

O que se trata aqui é de um "movimento de voluntários", o que implica necessariamente no envolvimento de um número grande de pessoas, predominantemente jovens. Não se trata daqueles outros voluntários que, por serem amigos do candidato, dispõem-se a dedicar uma parte do seu tempo (ou até mesmo seu tempo integral) para ajudar na sua área de especialização profissional.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Parabenizo a toda equipe pelo site. É um exemplo a ser seguido.



Maria Isabel Gomes de Matos
Belo Horizonte - MG

Leia mais >>