Segundo Turno: fazer a diferença é essencial

Gustavo Müller
Publicado em: 11/10/2016

Se no primeiro turno, muitas vezes, os candidatos se parecem iguais, no segundo turno fazer a diferença é essencial para que o candidato à Prefeito obtenha a vitória. Isso ocorre porque as dinâmicas eleitorais, nessas duas fazes, são distintas.

Salvo em municípios nos quais as alianças políticas estejam polarizadas desde o primeiro turno, o que é observado na maioria dos casos é uma pluralidade de candidatos, ao menos em termos numéricos, na disputa por uma vaga no segundo turno.

O principal elemento que diferencia as dinâmicas de primeiro e segundo turno diz respeito aos parâmetros utilizados para a transmissão da mensagem do candidato ao eleitor. No primeiro turno, o candidato tem cerca de três meses para sensibilizar o eleitor. Embora pareça bastante tempo, comparando-se às três semanas que separam o primeiro e o segundo turno, nessa fase inicial da campanha, muitos candidatos disputam uma atenção de difusa.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Assumi a Diretoria Regional de Educação de Feira de Santana, e desde então tenho sido leitor das matérias publicadas neste espaço, que são muito interessantes.

Carlos Alberto Moura Pinho
Feira de Santana - BA

Leia mais >>