Explicações que não explicam.

Francisco Ferraz
Publicado em: 12/06/2017

É... às vezes você é obrigado a dar explicações. Ninguém gosta, mas em política, uma vez que a questão foi publicamente levantada e difundida não tem saída. Lá está você tendo que encontrar a melhor forma de explicar um fato ou declaração incômoda.

Muitas vezes são questões aparentemente menores. Mas elas logo se tornam grandes porque são tomadas pelo adversário (e pelo eleitor), como indicadores de uma falta de caráter, ou deficiência em um atributo considerado essencial ao cargo.

Na eleição para presidente realizada em 2002, surgiu um exemplo emblemático de “pequenas coisas” que se tornam grandes. O candidato Ciro Gomes costumava declarar que sempre estudou em escolas públicas. Há várias declarações suas gravadas em tape, onde ele aparece dizendo isto com todas as palavras.

A equipe de Serra, fazendo sua pesquisa de investigação do adversário, descobriu que em 3 dos 15 anos de estudo de Ciro ele estudou em escola privada. Pronto. A questão – evidentemente menor – tornou-se uma questão de campanha porque está sendo explorada como evidência de que Ciro mente.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Senhores, o site é excelente. Parabéns.

Vanderval Lima
Salvador - BA

Leia mais >>