Não dê excessiva importância a boatos

Francisco Ferraz
Publicado em: 03/11/2016

Primeiro é preciso começar entendendo bem o problema. Ao contrário do entendimento mais vulgar, boato não é igual a “fofoca”. Pode acontecer que o boato tenha surgido de uma “fofoca”, mas não se deve entendê-los como semelhantes.

1. O boato é uma notícia. Como tal ele veicula uma informação que é nova, não publicada e portanto não sabida.

2. Mas não é qualquer notícia, não é uma notícia banal (fofoca) e sim uma notícia importante, daquelas que queimam por dentro quem as possui.

3. Queima por dentro porque desperta sentimentos fortes, de natureza positiva ou negativa, em outras palavras, é uma notícia importante que desperta alguma ansiedade em quem a possui. É este sentimento que faz com que o boato se difunda. Quem o possui tem que passá-lo adiante para outro.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Quero primeiro parabenizar pela qualidade que o site apresenta. A sugestão que faço é o site possa ser um link entre profissionais de campanha de diversas áreas com os candidatose partidos. Creio que os profissionais que atuam em campanha, como eu, precisamos de uma "vitrine" onde possamos ser localizados. E nada melhor do que ser localizado no Política Para Políticos.

Hiram Hollanda Jr.
Londrina - PR

Leia mais >>