Como pensar a política? A analogia mecânica do relógio

Francisco Ferraz
Publicado em: 21/07/2017

A adoção de uma analogia mecânica para descrever e explicar o mundo dependia do desenvolvimento de máquinas e operações mecânicas muito mais complexas que as da antiguidade. Assim, foi o desenvolvimento da maquinaria hidráulica (bombas, canos, válvulas) que permitiu a Harvey escrever seu clássico "De Motu Cordis", no qual apresentou sua revolucionária teoria da circulação do sangue.

O desenvolvimento do relógio, em curso desde o século XIII, iria proporcionar o modelo clássico de mecanismo aplicado de forma quase universal para descrever o universo (Sistema Newtoniano); o governo (Montesquieu e Locke); e o próprio corpo humano (o livro de La Mettrie "O homem, uma máquina").

Por que o domínio do tempo passou a ser uma obsessão dos pensadores ocidentais. Há 5.000 anos, media-se, ainda que de formas diferentes, o ano, os meses, a semana e o dia. Enquanto a humanidade viveu da agricultura e do pastoreio, estas medições eram suficientes e satisfatórias.

O "dia útil" era o dia iluminado pelo sol. Medir o tempo útil era então medir as horas de sol. A noite era a escuridão, que trazia consigo a impossibilidade de trabalhar. Desnecessário medi-la.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Acho que o site contribui muito com a boa formação de uma nova geração de homens públicos.

Ivanilton Robson Honorio
Bocaiúva - MG

Leia mais >>