COMPARTILHAR
Capa > Marketing > Oratória

Discurso de posse de Fernando Henrique Cardoso em 1995

Francisco Ferraz
Publicado em: 06/10/2017

Era a época da quebra dos monopólios, do consenso sobre a hipertrofia do estado, das privatizações, das reformas estruturais, do Real valorizado. É interessante comparar os discursos de Fernando Henrique Cardoso e Lula. Alguns avanços se consolidaram e, de promessas do Presidente de então tornaram-se compromissos do Presidente novamente eleito, como a estabilidade da moeda e a responsabilidade fiscal.

Outras promessas da era FHC, sobretudo no que respeita às condições sociais da população, reaparecem como prioridades absolutas no discurso do presidente Lula. A releitura do discurso de Fernando Henrique é também apropriada para recordar-nos a enorme distância que existe entre as intenções e as realizações.

"Venho somar minha esperança à esperança de todos neste dia de congraçamento. Permitam que, antes do Presidente, fale aqui o cidadão que fez da esperança uma obsessão, como tantos brasileiros. Pertenço a uma geração que cresceu embalada pelo sonho de um Brasil que fosse ao mesmo tempo democrático, desenvolvido, livre e justo. Vem de longe a chama deste sonho. Vem dos heróis da Independência. Vem dos abolicionistas. Vem dos "tenentes" revolucionários da Velha República.Essa chama eu vi brilhar nos olhos de meu pai, Leônidas Cardoso, um dos generais da campanha do "petróleo é nosso", como já brilhara no fim do Império nos olhos de meu avô, abolicionista e republicano.

Para os estudantes que jogavam, como eu, todo o seu entusiasmo nessas lutas, petróleo e industrialização eram o bilhete de passagem para o mundo moderno do pós-guerra. Asseguravam um lugar para o Brasil no carro do progresso tecnológico, que acelerava e ameaçava nos deixar na poeira. Por algum tempo, na Presidência de Juscelino Kubitschek, o futuro nos pareceu estar perto. Havia desenvolvimento. O Brasil se industrializava rapidamente. Nossa democracia funcionava, apesar dos sobressaltos. E havia perspectivas de melhoria social.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Fiquei muito feliz quando achei o site do "Política para Políticos". Ele será de muita utilidade para o povo. Falo isso porque trabalho em serviço público há mais de vinte anos, e conheço os bastidores da política, dos candidatos e partidos. Esse conhecimento real, após vários anos de decepções, me fez ganhar interesse pela política. Infelizmente, o povo não gosta, não quer saber, não se interessa. E eu, depois de muitos anos de convivência, acho que o interesse do povo pela política mudaria muita coisa, afinal, somos todos obrigados a votar. Então, o mais lógico é se interessar, pesquisar, opinar e participar da política. Se o povo se interessasse, os políticos eleitos, seriam mais cobrados, analisados, e só conseguiriam ser eleitos quem realmente tem capacidade. É uma pena que o povo se mantém cego a respeito da política. Essa deficiência é tão notória que, até a propaganda política é ignorada, e o povo continua consentindo ser enganado. Parabéns.

Eliel Moreira da Silva
Estância Velha - RS

Leia mais >>