A Noção Iluminista de Autoridade Política

Gustavo Müller
Publicado em: 21/09/2015

O iluminismo foi um movimento liderado por filósofos franceses do Século XVIII que rompeu com a visão mística do mundo. Tal visão mística perdurou durante toda Idade Média e teve como essência o predomínio da religião sobre todas as esferas da vida em sociedade, não havendo distinção entre autoridade política e autoridade divina. Igreja e Estado eram um corpo único.

O poder do Rei era considerado de origem divina e portanto não poderia ser contestado por nenhuma instituição humana. O resultado concreto dessa concepção de mundo foi a criação de um regime político chamado monarquias absolutistas ou seja, monarquias onde nada limitava o exercício da autoridade do Rei.

O Rei era o senhor absoluto de todas as coisas e a legitimidade de seu poder era inquestionável, prescindindo do consentimento dos súditos, uma vez que a autoridade do poder era diretamente concedida ao Rei por Deus.

O Iluminismo surgiu na França mas se espalhou por quase todo o continente europeu, e teve como principal precursor, o filósofo Voltaire. Fazia parte dos fundamentos do Iluminismo, a idéia de que o homem era o principal senhor do seu destino. Isso teve implicações na ciência, nas artes e na política.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Boa tarde. Não conhecia o vosso trabalho e de pronto lhes parabenizo pela iniciativa.

José Mariano
Duque de Caxias - RJ

Leia mais >>