Virar o argumento do adversário contra ele

Francisco Ferraz
Publicado em: 28/09/2016

Numa eleição sempre se busca ocupar a posição ofensiva. Estar na ofensiva é ocupar uma posição estratégica, a partir da qual torna-se possível ter as iniciativas, e, acima de tudo, adquirir as condições para pautar a campanha.

O problema reside no fato de que todos os candidatos buscam o mesmo objetivo. A qualidade do candidato e de sua equipe é que vai determinar qual dentre eles conquistará esta posição estratégica.

Estar na ofensiva, entretanto, é uma condição temporal (estar), não é uma garantia de que, uma vez nela posicionado, o candidato conseguirá nela permanecer até o final da campanha. A qualquer momento pode ocorrer um fato novo na campanha que o remova, temporária ou definitivamente daquela posição.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Prezados senhores, é um prazer receber boletins, informações, novidades sobre a política, assunto totalmente de nosso interesse, e a cada dia estamos aprendemos mais com os senhores. São informações, boletins, assuntos de alto nível, e só temos que agradecê-los por enviá-los a nós.

Vitor Luciano Filho
Paraguaçu - MG

Leia mais >>