As pesquisas eleitorais são confiáveis?

Francisco Ferraz
Publicado em: 04/10/2017

Após a redemocratização do país nos anos 80, houve um crescimento do número de institutos de pesquisa que se dedicam a estas atividades, ocorrendo uma verdadeira enxurrada de dados e informações nos jornais a respeito das eleições e dos candidatos.

Todavia, em meio a um elevado número de pesquisas publicadas na imprensa, principalmente nas últimas semanas de uma corrida eleitoral, com números muitas vezes discrepantes, leva o leitor mais atento a indagar-se se são as pesquisas eleitorais instrumentos confiáveis. E o quanto podemos confiar em seus resultados. "E não há a possibilidade de fraude?", muitos se perguntam.

O número crescente de institutos no país traz, de certa forma, um ponto positivo para os consumidores de pesquisa, pois a própria concorrência no mercado torna a fraude muito mais arriscada. Excluindo a possibilidade de fraude, temos ainda de admitir que as pesquisas podem errar sim!

Inclusive, elas foram projetadas para esta possibilidade. Muito embora este erro cometido seja previamente calculado pelo pesquisador através de um cálculo estatístico que forneça a margem de erro da pesquisa.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Boa tarde, leio todas as matérias postadas no site. Esta última, que aborda o questionário como norteador de uma comunicação efetiva em uma campanha é muito bom.


Edivaldo Balzani
Brasília - DF

Leia mais >>