Nunca subestime a inteligência do eleitor

Francisco Ferraz
Publicado em: 04/08/2016

A política não é a principal prioridade na vida do eleitor. Como consequência, o acompanhamento que o eleitor médio faz da política e das eleições, é superficial, inconstante, e irregular.

Cabe ao candidato opor à esta inconstância e superficialidade um eixo ordenador para a sua candidatura, que chamamos de "foco" e que permite ao eleitor identificá-lo, por sua mensagem, imagem e propostas principais.

Este "foco" deve ser capaz de estabelecer também um "nexo emocional" entre o candidato e o eleitor, na medida em que corresponde a um sentimento forte e prioritário do eleitorado. Nós prestamos a atenção naquilo que nos interessa e ficamos impacientes e desatentos com assuntos que não nos tocam. O mesmo ocorre com o eleitorado.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Prezado Professor Francisco, agradeço e parabenizo pelo excelente trabalho que é este site . É realmente um ambiente de pesquisa e esclarecimento de temas relevantes da politica nacional.

Mari Pessin
Curitiba - PR

Leia mais >>