Nunca subestime a inteligência do eleitor

Francisco Ferraz
Publicado em: 04/08/2016

A política não é a principal prioridade na vida do eleitor. Como consequência, o acompanhamento que o eleitor médio faz da política e das eleições, é superficial, inconstante, e irregular.

Cabe ao candidato opor à esta inconstância e superficialidade um eixo ordenador para a sua candidatura, que chamamos de "foco" e que permite ao eleitor identificá-lo, por sua mensagem, imagem e propostas principais.

Este "foco" deve ser capaz de estabelecer também um "nexo emocional" entre o candidato e o eleitor, na medida em que corresponde a um sentimento forte e prioritário do eleitorado. Nós prestamos a atenção naquilo que nos interessa e ficamos impacientes e desatentos com assuntos que não nos tocam. O mesmo ocorre com o eleitorado.

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Caros amigos... parabéns pelo site. É muito importante a idéia da página. Gostaria de obter informações sobre cursos de como ser político, ou saber os procedimentos internos na Câmara, ou como funcionam os trabalhos nas câmaras, assembléias, Senado, etc. Já fiz algumas leituras, e tirei outros textos do site. São muito bons.

Sidnei Valençola
Bom Despacho - MG

Leia mais >>