COMPARTILHAR
Capa > Mandato > Leis do Poder

Preserve e defenda a sua reputação a qualquer custo

Francisco Ferraz
Publicado em: 19/10/2015

Na política, a percepção é mais importante que a realidade. Na verdade, na política, a percepção é a realidade. Este processo não é exclusivo do mundo político. De maneira geral, qualquer matéria que seja remota da nossa vida pessoal, das nossas experiências, tende a ser avaliada e julgada mais por percepções do que pela realidade.

Por isso, nas matérias relativas à vida pessoal, as pessoas têm um conhecimento de "primeira mão", sabem. Já nas matérias remotas da experiência individual, têm opiniões, "acham que....".

Como a política lida com o coletivo, com aquilo que se refere à sociedade, a possibilidade de um indivíduo comum chegar a adquirir um conhecimento preciso da realidade política é muito pequena. A percepção adquire, então, na política, uma posição de absoluta centralidade.

Os indivíduos tendem a julgar e fazer suas escolhas pelo que percebem, o que não corresponde, necessariamente, à verdade e à realidade. Por isso os pensadores que estudaram a política pelo ângulo da realidade de sua prática e não pelo plano dos desejos, dos ideais e da imaginação, sempre aconselharam: "Seja, mas também pareça".

Este texto pertence a uma coluna com acesso restrito, para continuar lendo cadastre-se e escolha entre um dos planos de assinatura.

Assine Aqui

Já sou assinante

Informe seus dados abaixo para continuar.



Esqueci minha senha

 

COMPARTILHAR

Área do usuário:

E-mail

Senha

> Esqueci minha senha

> Quero me cadastrar

Curta nossa página no Facebook Siga-nos

Opinião do leitor

Não abro mão do Política para Políticos porque não abro mão do sucesso.

José Adilson Perciliano
Tarumã - SP

Leia mais >>